fbpx

O que levar em conta na hora de escolher um curso

O que levar em conta na hora de escolher um curso

Uma das maiores dificuldades da maioria dos jovens ao terminar o ensino médio é escolher um curso no qual seguir os estudos, já que é uma questão que boa parte do seu futuro estará envolvida.

Por certo, a pouca idade dos estudantes do último ano do ensino médio, a pressão exercida pela sociedade, as interferências das pessoas mais próximas, as opções de cursos de cada cidade e distância, são fatores que criam diversas dúvidas e dificultam essa escolha.

No colégio, fala-se bastante sobre estudar para passar em uma universidade pública, no entanto, as faculdades particulares são consideradas opções ideais para aqueles estudantes que têm vontade de se inserir mais rapidamente no mercado de trabalho.

A variedade de cursos oferecidos nesses locais também é um bom fator a ser considerado, além dos cursos livres que podem agregar ao currículo.

Agora, aos jovens que não sabem qual curso escolher, uma boa opção para ajudar na decisão é o teste vocacional, já que ele mostra quais são suas características e quais carreiras mais combinam com você.

Grade curricular, conteúdo e ementa do curso

Para te ajudar na decisão da escolha do curso, no momento em que estiver estudando qual graduação ou curso livre mais se encaixa com você, leve as disciplinas que você terá em conta.

A maior parte das universidades, faculdades e escolas fornece informações sobre a grade curricular de cada um dos cursos.

Além disso, veja quais são as atividades extracurriculares oferecidas, quando existentes, e analise se você gostaria de participar das mesmas.

No entanto, entenda se você se identifica com o conjunto do curso, não se desanime com uma ou outra disciplina que você acredita que não irá se interessar.

Mesmo que escolha a formação ou curso dos seus sonhos, é inevitável que você não goste de algumas atividades que fará dentro da instituição de ensino.

Como o mercado enxerga a formação que você escolheu

Acima de tudo, a fundamentação teórica é um fator muito relevante, podendo oferecer como resultado um trabalho acima da média e revelar seus conhecimentos profundos.

Esse pode ser um ponto crucial que ajudará no desenvolvimento da sua carreira no mercado de trabalho, levando em consideração que vivemos em um mundo muito competitivo. Então não é de se assustar que o mercado procure pessoas com um bom currículo no que tange as formações educacionais (boas notas, reconhecimento da instituição de ensino, etc.).

A mão de obra qualificada continua sendo uma exceção no país e, se você procurar estudar, desenvolver seus conhecimentos, ter uma atuação prática e se atualizar constantemente, provavelmente conseguirá um bom lugar para trabalhar.

Entretanto, o mercado valoriza muito as pessoas que não têm notas tão impecáveis, mas que priorizaram o desenvolvimento de atividades práticas, permanecendo por um tempo onde trabalharam e agregando valor ao seu currículo. Nesse ponto, o trabalho pode ser desenvolvido para empresas, ONGs, instituições — o importante é desenvolver as habilidades em situações reais.

No entanto, o interesse para realização de cursos livres pode surgir também após a conclusão de uma graduação. Dar continuidade aos estudos é sempre visto com bons olhos pelo mercado de trabalho.

Avaliar estrutura e professores da instituição

Um dos primeiros passos para decidir o curso pelo qual você irá seguir, é buscar pela avaliação e conceito perante antigos alunos ou estudantes atuais. Ou, ainda, como andam as avaliações em sites como o Reclame Aqui, por exemplo;

Assim, procure conhecer melhor o histórico da instituição de ensino. Grande parte delas conta com Fundações educacionais por trás, o que pode ser um fator positivo – uma vez, claro, que as fundações sejam devidamente reconhecidas.

É importante estar atento a esses conceitos porque você pode checar o reconhecimento da escola, há quantos anos ela existe, qual o aprendizado e desempenho dos alunos, entre outras informações essenciais para as suas decisões futuras.

Professores

Não deixe de observar se a instituição onde você pretende estudar tem bons professores em seu curso.

Pense que quanto melhores eles forem, mais conhecimento você poderá adquirir.

Outro fator importante é verificar se a grade curricular do lugar é mais voltada para pesquisa ou mercado de trabalho.

Atente-se a isso e compare com outras instituições. Dependendo do seu objetivo de carreira, isso pode fazer muita diferença.

Visite as escolas do seu interesse

Muitas instituições de ensino oferecem visitas com o propósito de que os estudantes conheçam mais sobre determinados cursos. Portanto, procure se informar com a escola onde pretende fazer seu curso livre quanto à essa possibilidade.

Você poderá aprender sobre a carreira em si e até mesmo começar a escolher em qual instituição você tem mais vontade de estudar, analisando a grade curricular e a infraestrutura, por exemplo.

Cursos presenciais ajudam com aprendizado prático e desenvolvimento de networking

Os cursos de extensão são cursos oferecidos à sociedade por diversas instituições de ensino superior. Porém, eles não são, necessariamente, cursos de pós-graduação, uma vez que podem ser direcionados a estudantes que ainda não ingressaram na universidade, bem como a alunos universitários e graduados.

Esses cursos representam uma opção de aprendizado para que o estudante acompanhe as tendências do mercado de trabalho, aprenda conceitos relacionados às áreas escolhidas e desenvolva habilidades específicas em sua área (ou áreas) de atuação. Por exemplo, no caso dos profissionais da área de Jornalismo, vale a pena dar uma conferida em nossos cursos de Jornalismo Cultural, Jornalismo Esportivo, Assessoria de Imprensa: Visão Estratégica ou ainda uma Oficina de Webjornalismo.

Então, através dos cursos de extensão, e mesmo de cursos livres presenciais, os estudantes aumentam a sua rede de relacionamento ao interagirem com outros colegas e profissionais.

Além disso, conhecem os projetos de pesquisa, participam de eventos (como congressos, seminários e debates) e trocam informações sobre a prestação de serviços (como atendimento jurídico, clínicas psicológicas e consultas médicas) à comunidade.